Case Study Data Center Automation- ACI

O Cliente:

A Autoridade Portuária do Douro, Leixões e Viana do Castelo (APDL) é uma
empresa pública, que tem como objetivo a administração dos portos da mesma
área geográfica, realizando a sua exploração económica, conservação e desenvolvimento, incluindo os poderes atribuídos de autoridade portuária.
Com 5 km de cais, 55 ha de aterros e 120 ha de área húmida, o Porto de Leixões
está equipado com a mais avançada gestão e segurança de sistemas de tráfego
portuário. Os serviços prestados cobrem todos os aspetos da remessa e funcionam 24 horas por dia, 365 dias por ano.

A adoção de tecnologias emergentes tem vindo a ser um dos fatores críticos para o sucesso e desenvolvimento dos negócios portuários, segundo a administração da APDL.

O Desafio:
A APDL procurava uma solução de switching de Data Center (com redundância,
robustez, segurança e interface web), que permitisse a extensão do data center,
bem como a micro segmentação do mesmo, facilitando a agilidade na gestão de
aplicações, alto desempenho e automatização.

A Solução:
Dadas as necessidades da APDL, a Logicalis procedeu à implementação da
solução Cisco Application Centric Infrastructure (ACI) pois, além de ser o SDN
líder do setor, automatiza a rede e a segurança num interface web para workloads
em servidores físicos, máquinas virtuais, containers ou cloud pública, proporcionando:

  •  Automatização da interligação de múltiplos data centres on-prem e data
    centres na cloud;
  • Política universal que facilita uma postura de segurança consistente e permite
    a continuidade do negócio, agilizando eventuais disaster recoveries;
  • Gestão centralizada: painel único para gestão, visibilidade, monitorização
    e troubleshooting em ambientes multi-cloud;
  • Expansão das Redes Lan e Wan através do Application Policy Infrastructure
    Controller (APIC) de forma a unificar a gestão e automatização da rede através
    do data center e da rede corporativa.


Os Resultados:
A solução de ACI ajudou a APDL a otimizar a gestão do seu trabalho e a resolver
de forma mais eficiente eventuais problemas da rede.
A própria organização mudou a sua mentalidade no que toca a configuração,
abstraindo-se dos protocolos, para um novo paradigma.
Permitiu ainda que começassem a pensar nas funcionalidades e que conseguissem conjugar um conjunto de tecnologias.
Facultou adicionalmente a capacidade de ver toda a rede como uma entidade
única, e sistematizar a forma como a APDL configura as aplicações (reduzindo
tempo de configuração, complexidade e acelerando a implementação das
mesmas na infraestrutura de redes wired e wireless).